sábado, 19 de dezembro de 2009

Campo de Cecé sauuuuudaaades



Outra Crônica
Cada vez que se fecha um campo de futebol, se constrói um presídio de segurança máxima.

O que um político considera melhor? Construir um campo de futebol ou uma penitenciaria? há quem compare cabeça de político a um balão: pra subir tem que ter gazes e labaredas,

No inicio da década de 90 a geração Samuel Cunha, Nego Gene, Abenilson, Vizek, dentre outros, Chorou por longos dias a perda do conhecido campo de Cecé, que revelou Vandick para o futebol profissional, Tuika dentre outros que ficaram na historia do futebol coiteense.

Os meninos daquela geração tiveram uma decepção tão grande com os políticos daquela época que ficou cravado na lembrança aquele triste episodio da venda do campo a particulares. Hoje é uma area de festa “o manos fest”. Tem momento que arrebato a severidade do grande comunicador Nilton Feliz e esgano a minha opinião doa a quem doer...

Aquele detalhe de que quando língua coça não ficar calado mesmo – para mim não tem utilidade nenhuma para a cidade coiteense, que me perdoem aqueles que considerarem forte esta frase ‘mas antes tivesse sido construído mesmo, um presídio’. Que poderia tá ajudando os jovens a rever a sua historia e até recuperar alguns.



Veja só o que fez o destino, de um local que ajudava afastar os jovens das drogas, se transformou em local dos jovens usarem drogas nos eventos promovidos.

Pode-se dizer que até os dias de hoje ainda não foi construído outro campo que pudesse substituir o saudoso campo de cecé, principalmente naquelas imediações, e saber que o Terra Nova participa todo ano de competições promovidas pela Liga de futebol... vai entender né...

Campo de Cecé, que também era chamado de Laranjeira, fiz muitos gols ali, ô quanto publico, quanta gente...

Mas hoje eu queria terminar esta matéria lembrando de outro campo que resistiu toda a evolução e modernização - tenho a sorte de poder também elogiar: o que? A incrível resistência do campo, outrora cercado por pés de fuxico, lembram? O ainda vivo campo do Ginásio... este continua lapidando a historia do futebol de coité.

Eu creio que ausência de campos de futebol colaborou por demais para a construção de tantos bares, em cada esquina, vários numa rua só, é como dizia meu pai: Mulher e cachaça em toda parte se acha. éééé hoje tá assim, de pernas pro ar – fecha-se campo de futebol, abre-se bares até onde era residência, daí os usuários ficam a um passo da penitenciaria... eh o melhor que tenho a fazer alem de lamentar a falta de iniciativas de nossos representantes, é chorar mesmo e pedir o lencinho que não dá pra enxugar o rio de lagrimas de todos nós atletas do saudoso campo de Cecé, “temos pra chorar”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário